Contra lesões, Luxa aprova 5 substituições, mas se preocupa com uso para fazer cera

Na última quinta, dia 14/05, o técnico Vanderlei Luxemburgo deu uma entrevista ao programa Expediente Futebol, do canal Fox Sports, onde se mostrou favorável  à realização de cinco substituições nas partidas de futebol

Publicidade

“Quando o futebol foi paralisado, comentei com o Cícero que o número de substituições deveria aumentar para evitar lesões dos jogadores nas competições, que provavelmente vão ficar mais achatadas, com datas de jogos mais próximos”, declarou o técnico.

Mas nem tudo são só flores. Luxa disse que é preciso ter atenção para que a novidade não seja utilizada para o ‘mal’. O treinador crê que o maior número de trocas pode ser usada para os times fazerem “cera”.

“Eu sou favorável à ideia, mas acho que deveria ter um critério: três substituições deveriam ser obrigatórias até antes dos 30 minutos do segundo tempo. Se o treinador não usar essas substituições, perde as duas extras a que teria direito. Se liberar as cinco a qualquer momento, os treinadores podem usar como malandragem para amarrar o fim do jogo. Mas eu gosto da ideia”, complementou.

Pensa em se aposentar?

Em outro ponto da entrevista, o treinador foi questionado sobre uma possível aposentadoria já em 2020. Ele negou que tenha a intenção de parar, mas disse que o Verdão pode ser seu último clube, caso consiga fazer um trabalho grandioso e longo no alviverde.

“Não quero me aposentar, o pessoal fala muita bobagem. Eu falei que gostei muito de voltar ao Palmeiras e que eu estou muito feliz aqui. O que eu disse é que se eu fizer um grande trabalho aqui e for longevo, talvez eu não precise ir para outro time, possa parar depois. Mas eu não pretendo parar depois deste ano, até porque tenho contrato de dois anos. Mas eu quero deixar algumas coisas para o futebol brasileiro, como por exemplo a ideia de que o futebol brasileiro não precisa mudar sua essência para ser moderno. Então, eu quero usar a tecnologia que tem hoje, mas trabalhando as características dos jogadores. E quero vencer desta maneira”, continuou Luxa.

COVID-19

Para o técnico, as competições ainda não devem voltar. Ele acredita que o esporte deve ser tratado como qualquer outra área e retornar somente quando o isolamento social for encerrado.

“O futebol não pode ficar fora do contexto mundial da pandemia. Não pode excluir o futebol do contexto mundial. O futebol tem que voltar quando tiver uma normalidade, quando tudo voltar. Todo mundo vai ter prejuízo, empresas, comércios, e o futebol também. Não dá pra privilegiar o futebol, pra ficar fazendo testes. Se o isolamento existe para todo mundo, tem que ter no futebol também. Quando que as autoridades liberarem todas as atividades, o futebol também volta”, finalizou o treinador palmeirense.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo