Dudu diz porque não batia pênaltis no Palmeiras e o motivo que o fez mudar de postura

Em entrevista ao programa Bola da Vez da ESPN, Dudu contou o motivo pelo qual inicialmente não batia pênaltis pelo Palmeiras e o que o fez mudar de ideia recentemente.

Publicidade

“Vou voltar lá em 2015. Quando eu cheguei no Palmeiras a gente entrou em um acordo que eu era o batedor de pênaltis do time. Fiz alguns, errei alguns. Com o Roger (2018), começou do mesmo jeito: fiz alguns, errei alguns. Daí todo mundo começou a falar que eu não tinha que bater pênalti. Virei para o treinador na época e disse: ‘Roger, não preciso bater pênalti. Não é porque sou um dos principais jogadores do time que tenho que bater. Se todo mundo quer que eu não bata, eu não bato'”, disse Dudu.

“E também quando eu coloco uma coisa na minha cabeça, acabou. Não tem que vai fazer eu bater. Falei que não ia bater e não bati. Podia ser no tempo normal, na decisão por pênaltis… Eu não ia bater! E foi o que aconteceu. Estava todo mundo falando que o Dudu não tinha que bater. E depois todo mundo ficava cobrando de mim na hora das decisões por pênalti. Mas eu já tinha colocado na minha cabeça que não ia bater. Poderia chegar o Papa, eu não ia bater”, completou o atacante.

Apesar dos números positivos com a Camisa do Palmeiras, Dudu sempre foi questionado pelo fato de não bater os pênaltis, sendo marcado negativamente em algumas situações.

Atualmente, contudo a situação parece ter mudado. Nos jogos que fez em 2020, Dudu já bateu dois pênaltis. Um ele errou contra o Guarani e outro acertou contra o Red Bull Bragantino.

“Agora chegou o Luxemburgo esse ano e falou que eu queria que eu fizesse mais gol, que precisava de mim motivado e que queria que eu batesse pênalti. E é o que está acontecendo. Sou hoje o batedor de pênalti oficial do time. Mesmo que eu errar, vai ser eu. A gente precisa dessa confiança do treinador e da torcida. Não é porque errou um ou dois pênaltis que não tem que bater mais”, explicou.

Pensando no melhor para o clube, Dudu sabe que se as coisas não derem certo, ele não vai forçar uma situaçao para continuar como o cobrador oficial.

“Se eu ver que não tenho chances de fazer o gol, vou deixar outro bater. Não tenho esse egoísmo”, finalizou o camisa 7.

Foto: Divulgação Palmeiras

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo