Luxa diz que é necessário ter cuidado com Veron no Palmeiras e o compara à Neymar

Embora boa parte da torcida palmeirense tenha grandes expectativas com relação à Gabriel Veron, Luxa explicou em entrevista ao GloboEsporte.com o motivo de não usar o atacante de 17 anos com frequência.

Publicidade

Eu não quero colocar e me pedirem para tirar amanhã. Quero colocar quando eles puderem seguir. O Veron não estourou ainda, ele teve uma participação excelente na Seleção, mas no Palmeiras ele está começando a história dele. Temos de ter um pouquinho de calma, já que a história dele até agora foi na Seleção”, declarou.

Para o comandante, é necessário ter cautela, pois “lançar quando o torcedor quer, pode se equivocar e perder um talento”.

“Teve jogo que quando ele perdia duas, três bolas, começava uma culpa nele ali. Uma sequência errando já iam ver o Veron diferente, eu falei ‘opa, deixa eu tirar’. Aí comecei a colocar em jogos já entrando com o adversário cansado e ele usando a velocidade. É para preservar um talento como o Veron, que tem um futuro brilhante pela frente”, disse.

Luxa fez, inclusive, uma comparação com a época de consolidação de Neymar. Treinando o Santos em 2009, com a recente estreia do então camisa 18, o técnico ficou marcado por tê-lo chamado de ‘filé de borboleta’.

“O dia que eu começar a sentir que a torcida está me chamando de burro porque eu não coloco o cara, está na hora dele começar a jogar. Quando cheguei no Santos, o Neymar tinha sido lançado pelo Dorival Junior, ele teve uma queda e começaram a falar que era só uma promessa. Eu chamei ele e o pai e falei pra fazermos um trabalho de ganhar massa muscular, chamei de filé de borboleta brincando, que eu ia colocar ele no banco, entrando 15 minutos, 20 minutos”, contou o técnico.

A torcida começou a me chamar de burro, seu filho disso, filho daquilo, ‘Neymar tem que jogar’. Eu bati no ombro dele e disse: ‘Não te falei? Agora vai lá jogar, meu filho'”, finalizou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo