Palmeiras e o sentimento de tentativa e erro para acertar a formação do time

Mais um jogo, mais um padrão tático.

Publicidade

A vitória do Palmeiras perante o Santo André em partida válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista mostrou mais uma variação tática proposta por Vanderlei Luxemburgo para tentar achar a melhor formação para o time.

O jogo mostrou que técnico não quer apostar as fichas em um modelo de jogo que dependa exclusivamente de um meia armador. Talvez o treinador tenha notado (tardiamente) que no elenco atual não há um meia com as virtudes de um clássico camisa 10.

Admito que achei até interessante a proposição de meio-campo com Patrick de Paula, Gabriel Menino e Ramires. Cheguei a acreditar que por algum momento Ramires jogaria mais adiantado, cabendo a ele a função de “armador”. Mas o que se viu foi Gabriel Menino mais adiantado e tentando organizar as jogadas ofensivas.

A estratégia não rendeu o esperado e time sofreu no setor criativo. A ausência de um jogador que tenha essas características faz o treinador  buscar altenativas muitas vezes não entendidas pelos torcedores.

Lucas Lima e Gustavo Scarpa seriam as opções mais naturais para esta posição. Quando entraram no segundo tempo até mudaram um pouco a dinâmica do meio, criaram algumas chances, mas nada que brilhe os olhos do torcedor e do treinador. Outra alternativa seria Bruno Henrique, que desde que flertou com a Seleção Brasileira, não consegue apresentar o mesmo futebol de antes.

Dudu antes de ir embora, por mérito individual, até conseguia compensar essa ausência de meia clássico. O antigo camisa 7 era o escape necessário para este problema, costurando muitas vezes jogadas pelo lado do campo, ou então assumindo a posição central do ataque do Palmeiras.

Rony que poderia ser o novo Dudu, ainda não convenceu. Luxa até chegou a tentar usar Willian centalizado, sem sucesso. Chances também foram dadas à Zé Rafael, que não correspondeu.

Resta saber como o técnico conseguirá resolver este problema. Não será nada fácil e talvez não seja rápido como o torcedor gostaria. Acreditar que Veron pode surpreender e ser o novo Dudu é o que deixa uma ponta de esperança nos torcedores, embora todos saibam que um time como Palmeiras não pode colocar suas fichas em garoto de apenas 17 anos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo