Vitor Hugo fala sobre passagem na Itália e cenário de retorno ao Palmeiras; Confira

Depois de passar 2 anos na Fiorentina, da Itála, Vitor Hugo voltou para a zaga do Verdão no meio do ano passado. O setor é um dos mais concorridos do time, contando com Felipe Melo e Gustavo Gomez na posição de titulares.

Publicidade

Assim que chegou o zagueiro até teve uma sequência, mas um problema na região inguinal o atrapalhou na reta final de 2019 e o tirou da pré-temporada de 2020, nos Estados Unidos e da participação na Florida Cup.

– Foi complicado machucar logo após a volta e depois passar por cirurgia, mas o pior de tudo foi ter perdido a viagem da pré-temporada com a nova comissão e não estar presente naqueles primeiros dias de contato, onde se ganha a confiança do pessoal que está chegando. Graças a Deus já não sinto mais nada, e essa confiança estou conquistando no dia a dia – contou o zagueiro, por meio de sua assessoria de imprensa.

Além dos titulares Felipe Melo e Gomez, o setor conta também possue Luan e Emerson Santos.

– Essa disputa para jogar é o que torna tudo ainda melhor. Vemos que ninguém pode dar brecha porque o que entrar dificilmente vai mal, então todos dão o melhor sempre. Quem ganha com isso é o clube – complementou.

Ao falar sobre a Fiorentina, onde Vitor Hugo participou de 54 jogos e marcou um gol, o zagueiro valorizou sua evolução como atleta.

– Lá fora eles prezam muito a parte tática e posicionamento, principalmente defensivo. O tempo em que estive lá foi de muito aprendizado. Ganhei muita experiência lá fora na parte tática, posicionamento de corpo para as situações do jogo, e com a bola também procuro jogar mais. Acho que voltei um jogador melhor do que quando sai. Mas futebol é confiança, e espero estar bem confiante para poder mostrar tudo isso lá dentro de campo quando o bicho pegar – disse.

Em 2020, Vitor Hugo participou de apenas duas partidas. Ele entrou no segundo tempo da partida contra o Guaraní do Paraguai, pela Libertadores, e foi titular no empate sem gols com a Inter de Limeira, pelo Paulista. Os dois jogos foram os últimos do Palmeiras antes da paralisação dos calendários por causa da pandemia de COVID-19.

Sobre Luxa, o Zagueiro fez elogios ao trabalho do comandante alviverde.

– É um treinador que gosta que o time pressione o adversário principalmente nos jogos em casa, ele tem uma leitura de jogo diferente e sempre faz alguma substituição que muda o jogo. Não é à toa que é tão vencedor.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo